Dia 13 – Ilhas Flutuantes de Uros e Taquile

Linha do tempo e lugares do roteiro.

As Ilhas Flutuantes de Uros são um desses lugares únicos e curiosos que nos deixam surpreendidos ao observar um modo de vida tão diferente do nosso.

Ilhas Flutuantes de Uros

Uma das muitas Ilhas Flutuantes de Uros.

Uma van nos buscou no hotel por volta das 8h e junto com outros turistas nos levou até o porto onde partem as embarcações turísticas. As Ilhas Flutuantes de Uros estão a aproximadamente 30 minutos de Puno. O barco estacionou ao lado de uma das ilhas e o grupo foi recebido por seus moradores. Ao desembarcar na ilha somos avisados de que não é tão fácil caminhar em seu solo. Realmente o solo é bem fofo, pois é todo coberto de totora.

Moradoras da ilha recepcionando os turistas.

Moradoras da ilha recepcionando os turistas.

As ilhas são bem pequenas, normalmente habitadas por membros de uma mesma família.
Antes do turismo os moradores viviam da pesca e da caça de aves como patos. Eram analfabetos e viviam em um isolamento quase total. Com o turismo o modo de vida dos moradores mudou um pouco e eles podem enviar as crianças para escola. Porém, eles preservam suas tradições e costumes e repassam o conhecimento para as novas gerações.


CONSTRUÇÃO DAS ILHAS

As ilhas são artificiais e são construídas à base de totoras. Totora é uma espécie de junco que cresce nas margens do lago Titicaca e são uma importante matéria prima para os Uros. Ela é utilizada na construção de suas ilhas, casas e barcos, na confecção de artesanato e até na alimentação.

Um dos moradores da ilha nos deu uma explicação de como elas são construídas. Sua base é feita de blocos com raízes de Totora e depois coberta com ramos. Tem espessura média de 2 metros e podem durar até 15 anos, mas exigem uma manutenção periódica para assegurar a flutuabilidade das ilhotas.

Nos locais onde as casas são construídas são colocadas mais folhas no piso para deixá-las mais altas. Mesmo assim a população sofre muito de reumatismo, pois é sempre muito úmido.

Morador explicando como as ilhas são construídas.

Morador explicando como as ilhas são construídas.

Outra curiosidade relacionada a Totora é que eles mastigam a parte interna do caule da planta quando ela ainda está verde. Como eles não escovam os dentes (ou não escovavam), a totora ajuda a manter os dentes saudáveis, pois é muito rica em cálcio.

Barcos feitos de totora.

Barcos feitos de totora.

Casa feita de totora.

Casa feita de totora.

Barco feito de totora.

Durante a visita é possível passear em uma dessas balsas.

Artesanato.

Artesanato.

É claro que junto com o turismo veio também o “progresso”. Atualmente é possível encontrar geradores de energia nas ilhas e embarcações mais modernas do que as balsas feitas de totora.

Chegamos um pouco atrasados se queríamos ver o modo de vida legítimo dos habitantes das ilhas de Uros. Mas isso acontece em qualquer lugar do mundo invadido pelo turismo. Ainda assim, vale muito a pena fazer esse passeio.


Ilha Natural de Taquile

Depois da visita às Ilhas Flutuantes, que dura aproximadamente uma hora, continuamos o passeio com destino a Ilha Natural de Taquile. Nessa ilha seus moradores se dedicam a agricultura, ao artesanato e a pesca principalmente. Eles continuam vivendo de acordo com suas antigas tradições e costumes. Ainda realizam rituais religiosos e folclóricos como: El matrimonio (Sirvinacuy), el pago a la tierra (Pachamama).

Paisagem da Ilha Taquile.

Ilha de Taquile.

O passeio incluiu um almoço que é servido em Taquile. Depois do almoço temos algum tempo para visitar o centro artesanal do povoado e tirar fotografias com vistas panorâmicas.

Comunidade de agricultores da Ilha Taquile.

Comunidade de agricultores da Ilha Taquile.

Deixamos a ilha Taquile para retornarmos a Puno no meio da tarde. Depois que desembarcamos em Puno uma van nos levou de volta ao hotel. Não pagamos uma nova diária, pois partiríamos no mesmo dia para Cusco. Desocupamos o quarto antes de sairmos para o passeio, mas deixamos nossas mochilas no hotel. Quando voltamos negociamos para que pudéssemos usar o quarto, por uma hora, para tomar banho. Pagamos 10 soles cada. Depois ainda tivemos tempo de sair para jantar antes de ir para rodoviária.

O ônibus de Puno para Cusco partiu as 21h30. Como são 8 horas de viagem nós optamos por um ônibus leito, o que eu recomendo muito. Principalmente se for viajar de noite, pois vai economizar uma diária de hotel e vai dormir bem. O ônibus é muito confortável e a viagem só não foi mais tranquila porque no meio da noite um pneu furou e a viagem atrasou um pouco. Mas chegamos em Cusco ainda muito cedo, por volta das 7h00.


Preços cifrao40x40

Passeios: Ilhas Flutuantes de Uros + Ilha Natural de Taquile (30 soles). Passeio na balsa de totora (10 soles).

Transporte : Taxi do centro para a rodoviária (6 soles). Ônibus leito entre Puno e Cusco (45 soles).

Estadia :  Pagamos 10 soles apenas para tomar banho no hotel, pois partimos para Cusco no mesmo dia e passamos a noite viajando.

Observação: os preços são referentes a maio de 2014 quando a taxa de câmbio estava 1 USD = 2,76 Soles (casa de câmbio em Puno).



next40x35 Seguir para Dias 14, 15 e 16 – Cusco .

previous40x35 Voltar para Dia 12 – Puno.

mapa1_50x38Ver Roteiro completo.


0

 curtiram / 0 Comentários
Compartilhe:

deixe seu comentário


Click on form to scroll

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec